Um tolo encontra sempre outro tolo

Um tolo encontra sempre outro tolo, ainda maior, que o admira.
(Boileau)