Só respiramos verdadeiramente

Só respiramos verdadeiramente quando nos encontramos ligados aos outros por um fio comum que se situa fora de nós. Nós, filhos da idade do conforto, sentimos um inexplicável bem-estar quando dividimos os nossos últimos víveres no deserto.
(Saint-Exupéry)