Gostamos deles. E, por isso, aconselhamos, ralhamos, castigamos quando isso se torna conveniente. E por isso procuramos evitar que se metam em situações que sabemos serem prejudiciais.
Quando é possível, fazemos tudo isto sem deixarmos de sorrir… E assim nem eles se importam muito com o conselho, com a censura, com o castigo.
(Paulo Geraldo)