Nunca queres “esgotar a verdade”. – Umas vezes, por correcção. Outras – a maioria – para não passares um mau bocado. Algumas, para o evitares aos outros. E, sempre, por cobardia. Assim, com esse medo de aprofundar, nunca serás homem de critério.
(Josemaria Escrivá)