A noite da tristeza apenas se instala com o egoísmo

Após manhã cinzenta na praia, diz o pai: “Olha, filho, que bom! já saiu o Sol!” Ao que o filho ripostou: “Não, pai, quem saiu não foi o Sol, foram as nuvens!”
Pois é. E acredito que o estado natural do homem que vive de amor é a felicidade, que, como o sol do dia, sempre está lá. Às vezes o que há são nuvens.
E entendo que a noite da tristeza apenas se instala com o egoísmo, porque quem anda na sombra da amarga inveja e da perene insatisfação, não precisa das nuvens da contrariedade para sentir a infelicidade. Uma infelicidade que nada, nem o fulgor artificioso de um prazer passageiro, será capaz de dissipar.

(António Montiel)

Aqueles que se equilibram nos desequilíbrios

A vida é uma sucessão de desequilíbrios equilibrados e de equilíbrios desequilibrados. São mais felizes aqueles que se equilibram nos desequilíbrios. Tropeçam, mas não caem, magoam-se mas não choram, batem-lhes mas não lhes dói. Gostam do que é simples, desvalorizam o negativo, facilitam o complicado, sorriem porque nada é razão para estar triste. Basta estar-se vivo para se ser feliz.

(Maria Vítor Campos, in O Cancro é uma Nova Oportunidade de Vida)

De quem receberemos a felicidade?

Apagámos do horizonte, portanto, tudo aquilo que estava acima de nós. Já não nos submetemos; já não precisamos de servir; somos os maiores. Resolvemos ser auto-suficientes. Quebrámos todos os laços. E – por confusão – chamámos liberdade a isso…
Mas se não existe nada acima de nós, de quem receberemos a felicidade? Devíamos pensar nisto: por mais tontos que sejamos, somos capazes de compreender que não possuímos a capacidade de darmos a nós mesmos a felicidade…
(Paulo Geraldo)

É difícil subir o monte altíssimo

É difícil subir o monte altíssimo. É preciso trocar tudo pelo instante mágico de chegar ao cume. Ali tudo é radicalmente verdadeiro: não é possível fingir que se vai a caminho. Deixam-se as forças na íngreme escalada, rasga-se a pele nos rochedos, abandona-se o aconchego do calor do corpo ao vento e à neve e ao gelo. Caímos e apetece-nos ficar por ali. Por vezes não sabemos se conseguimos dar mais um passo. Mas é tão belo! Só ali se respira verdadeiramente. Só ali se vêem todas as coisas com o seu verdadeiro relevo e com as suas cores verdadeiras. Só ali um homem se sente realmente rico – ele que deixou tudo lá em baixo.
(Paulo Geraldo)

Um coração enamorado

Aquilo de que se necessita para conseguir a felicidade não é uma vida cómoda, mas um coração enamorado.
(Josemaria Escrivá)

Se o meu egoísmo me afastar dos outros

De pouco me serve, para ser feliz, o facto de poder ir tomar café a Londres e voltar para o almoço, ou ter a possibilidade de assistir a um importante jogo de futebol comodamente instalado na sala de estar da minha casa, se o meu egoísmo me afastar diariamente dos outros. Ou se a consciência me acusar de ter conquistado dinheiro e bem-estar à custa de prejudicar outras pessoas.
(Paulo Geraldo)