Frases e pensamentos sobre educação

Primeira lei: acreditar no aluno. Se o campo é bom e se a semente é bem lançada, até uma inicial vontade de enganar a contraria, agindo no espírito do aluno a nossa boa-fé. E depois há o ficar ou o não ficar tranquila a nossa consciência.
Suponhamos, fora da escola, que um homem me diz: “Venho a pé do Algarve à procura de trabalho. Estou morto de cansaço e de fome e gastei os últimos cobres. Tenho vergonha de pedir esmola”. Suponhamos agora que eu lhe digo: “Se se não importa, eu dou-lhe alguns escudos. Não é esmola, nem é talvez “dar” a palavra que devia empregar, porque isto é um empréstimo: amanhã posso eu precisar e outro me há-de socorrer; me há-de pagar a dívida que o senhor contraiu comigo”.
Pois bem: “Tu és um trouxa” – poderão dizer. “Foste no conto do vigário e o homem ri-se de ti, enquanto come o teu dinheiro”.
E que me importa? Prefiro arriscar-me a “ser levado”, a arriscar-me a deixar um homem morrer de fome. Sou levado, mas fico lavado. O que me enganou é que não.
Na Escola é o mesmo: Antes ser levado do que arriscar-me a ser cruel, a ofender, a estragar. Mais uma vez o aviso de alguns: “Cuidado com o aluno!” e o meu aviso “Cuidado com o aluno!”

(Sebastião da Gama, in Diário)

Demasiadamente tarde, muitos pais apercebem-se de que essa ausência de pontos de referência está directamente relacionada com uma defeituosa formação moral dos filhos. Parecia — a muitos que agora são pais — que a formação moral era uma imposição de valores desnecessária e até contraproducente. Parecia a história da carochinha. No entanto, essa “história” parece ter deixado alguns pontos de referência à geração anterior — pontos que agora se lamenta que a geração actual não possua.

(Rodrigo Lynce de Faria)

Ensinar não é uma actividade como as outras. Poucas profissões serão causa de riscos tão graves como os que os maus professores fazem correr aos alunos que lhe são confiados. Poucas profissões supõem tantas virtudes, generosidade, dedicação e, acima de tudo, talvez entusiasmo e desinteresse. Só uma política inspirada pela preocupação de atrair e de promover os melhores, esses homens e mulheres de qualidade que todos os sistemas de educação sempre celebraram, poderá fazer do ofício de educar a juventude o que ele deveria ser: o primeiro de todos os ofícios.

(Pierre Bourdieu)

Antigamente tinha seis teorias sobre o modo de educar as crianças. Agora tenho seis filhos e nenhuma teoria.
(Lord Rochester)