Crianças, meninos, bebés. Ensinamos as crianças e aprendemos com elas. São de algum modo, com a sua inocência, uma presença do divino no nosso âmbito.
Para a sociedade talvez não contem muito e estejam de certa forma abandonadas, a terem de crescer sozinhas.
Precisam de nós para crescer e serem o que quiserem, mas queremos moldá-las a nosso gosto

Crianças: pensamentos e reflexões

Facebook
Twitter
LinkedIn
You cannot copy content of this page