O verdadeiro rosto de um homem apressado – que não tem tempo para estar com os outros, para os ouvir, para os ajudar – é quase sempre o de alguém que passa, em alguma zona da sua vida, demasiado tempo a fazer coisas inúteis ou despropositadas.
(Paulo Geraldo)