O amor incondicional é aquele que diz: “Vem se quiseres, vem quando quiseres, vem sejas como fores, vem faças o que fizeres. Estou aqui para te receber. Existirei para ti. Derramarei tudo o que há de bom em mim sobre ti, para te construir”.
A contracepção, a forma mais utilizada para realizar aquilo a que chamam desastradamente “planeamento familiar”, não é compatível com este tipo de amor. Porque coloca condições: “Virás quando eu quiser, se me der jeito, quando for possível. Talvez mais tarde. Já há o teu irmão…”. Não acolhe: escolhe.
(Paulo Geraldo)