O amor é comparável a um avião com dois motores: um motor principal (a vontade) e um motor auxiliar (a paixão). O motor auxiliar pode deixar de funcionar sem que nós o desejemos, por doença ou cansaço; mas o motor principal não deixa de funcionar sem o nosso consentimento.

(Michel Esparza)