Há apenas um aventureiro no mundo, como pode ver-se com diáfana claridade no mundo moderno: o pai de família. Os mais desesperados aventureiros nada são em comparação com ele. Tudo no mundo moderno está organizado contra esse louco, esse imprudente, esse louco ousado, esse homem audaz que até se atreve, na sua incrível ousadia, a ter mulher e família. Tudo está contra esse homem que se atreve a fundar uma família. Tudo está contra ele. Selvaticamente organizado contra ele… Ele e só ele está envolvido nas coisas do mundo. A única aventura que existe é a sua. Os outros estão envolvidos nas suas cabeças, isto é, em nada. Aquele que é pai está-o com todos os seus membros. Os outros sofrem por si mesmos. Só ele sofre através de outros. Os pais sofrem em cada situação. Sofrem por todas as partes. Só eles esgotaram – só eles se podem orgulhar de ter esgotado – o sofrimento temporal. Aqueles que não tiveram um filho doente não sabem o que é a doença. Aqueles que não perderam um filho, os que não viram um filho morto, não sabem o que é a dor. E também não sabem o que é a morte.

(Charles Péguy)